SEM LUCRO MAS COM MUITOS GANHOS

SEM LUCRO MAS COM MUITOS GANHOS

por Luciana Monteiro Portugal

Eis um grande desafio! Escrever sobre o voluntariado para os 60+, terceira idade, melhor idade ou seja lá como a literatura classifica todos aqueles que há pouquíssimas décadas estavam “dobrando o cabo da boa esperança”, mas que em pleno século XXI ainda têm muita vida, energia, desejos, planos futuros e mais um monte de coisa bacana para oferecer; no pessoal, no profissional, doando saúde. Mas o desafio não é tratar do tema. O desafio é classificar tudo isso num artigo para o Perennials Forever. Porque se você é um perennial, não se prenderá a rótulos, faixa etária, será livre e independente. Foi assim que aprendi. Mas se gostar de novas experiências, por que não o voluntariado?     

Em função da expectativa de vida e das tentativas legais para o início da aposentadoria, a referência passou a ser 65 anos de idade. E também passou a ser tratada como a melhor idade, justamente porque ficou ultrapassada a ideia de que ainda na casa dos 60 as pessoas já não tinham tanta disposição e exigiam cuidados. Hoje a grande maioria tem muito pique para inúmeras atividades, sejam físicas ou intelectuais, e daí que com maior disponibilidade de tempo, o voluntariado pode ser uma das mais gratificantes e, quando levado a sério, auxilia até num restabelecimento de rotina e responsabilidades, combatendo a solidão e a depressão que acometem pessoas ativas e ocupadas demais durante as décadas anteriores. A verdade é que essa é a hora de fazer realmente o que gosta!

O voluntariado é uma atividade benéfica para quem pratica, pois terá a possiblidade de fazer a diferença, seja na vida do outro, para os animais ou meio ambiente, e também para quem recebe. Ele oferece dois sentidos e a reciprocidade. E se fizer parte de um plano de aposentadoria, pode promover um envelhecimento ativo.

O blog português Stannah apontou alguns dos benefícios da prática voluntária na senioridade, como ajudar a combater sentimentos negativos (stress, irritação, ansiedade), além da depressão como resultado de algumas preocupações e medos originados pela solidão, prevenção de doenças como Alzheimer, aumento da autoconfiança, já que promove um sentido natural de realização e orgulho, apresenta um propósito e, consequentemente, mais entusiasmo, proporcionando uma vida mais saudável. E é muito importante frisar que mesmo que um idoso tenha sua mobilidade já reduzida, isso não é impedimento, seja pela oferta de equipamentos disponíveis no mercado, seja porque nem todo voluntariado precisa ser exercido ‘in locu’ ou fora de casa. Existe a oportunidade de praticá-lo remotamente, ou à distância.

Uma pesquisa realizada pela MGN Consultoria em parceria com a ONG Parceiros Voluntários revelou que o aprendizado e os valores que a prática do voluntariado oferecem são motivadores para pessoas que estão na chamada terceira idade, enquanto que a contribuição para o bem-estar alheio e o bom exemplo que gera para a família são os principais benefícios enxergados pela população observada. O estudo realizado na cidade de Porto Alegre, reconhecida pela OMS como amiga do idoso, dado seu percentual de população acima dos 60 anos, ainda concluiu que estas pessoas buscam conhecer novas habilidades por meio de experiências práticas e diretas, incluindo lidar com a diversidade, evoluindo seu aprimoramento pessoal.

O público que participou da pesquisa ainda mencionou a oportunidade de colocar em prática valores pessoais e o afloramento do sentimento de compaixão.

A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que nos próximos 35 anos a população idosa crescerá de 900 milhões para 2 bilhões no mundo, o que deve fazer as organizações sem fins lucrativos repensarem a importância de direcionarem suas campanhas para a captação deste pessoal mais sênior.

Para quem ficou interessado ou curioso, indico uma espiadela nos temas do seminário ‘De Repente 60+’. O Atados – Juntando Gente Boa sempre terá uma organização que reflita a busca de um aspirante à voluntário, disponibilizando as vagas no próprio site. A UNIBES (União Brasileiro Israelita do Bem Estar Social), que atende crianças, adolescentes, idosos e famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social e também tem um braço cultural vale ser visitada. E para quem curte socializar e lidar com o público, assim como a Unibes, muitas organizações têm como importante fonte de receita um bazar. A AHPAS é outro exemplo.

É claro que um engajamento como o que o voluntariado proporciona não tem idade e nem merece esperar, mas não há dúvida de que para quem nunca pensou a respeito, ou não teve tempo anteriormente durante sua trajetória, investir nessa prática é uma ótima dica, pois os 60+ têm muitas experiências valiosas para compartilhar e trocar. E tempo! Afinal, como exposto no seminário ‘De Repente 60+’ ter 60 anos ou mais pode significar novas oportunidades, diferentes experiências e a construção de novos planos. E amizades!         

Luciana Monteio Portugal  (Ig @lumonteiroportugal FB e LinkedIn Luciana Monteiro Portugal Gomes) é advogada por formação e voluntária por opção. Quinzenalmente divide conosco sua experiência no terceiro setor e mostra que doação compreende mas vai além do dinheiro, pode-se doar tempo e habilidades

2 comentários sobre “SEM LUCRO MAS COM MUITOS GANHOS

  1. Boa tarde. A matéria da Dra Luciana Portugal me permite pontuar 2 observacoes. Uma delas é a de que gostei da denominação “senioridade”, bem a calhar para nós, os senhores. A 2a. é a vez que a intelectualidade impera nesta fase pela experiência de vida, compensando a diminuição da atividade física. Ah! E a 3a. observacao: parabéns pela matéria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Olá, quero seguir o seu blog.