SAÚDE+

SAÚDE+

por Danielle Amoêdo

MEMÓRIA VERSUS ANSIEDADE 
Que loucura pensarmos em memória e nas questões de vida que levam a falhas e lapsos tão recorrentes. A ansiedade, que faz sofrer por antecipação, é a grande colaboradora dos famosos “brancos“ que tiram a nossa estabilidade emocional e nos fazem questionar o que estamos fazendo para sabotar as nossas lembranças. Estudos médicos relatam quais são as causas de déficit cognitivo nos processos de ansiedade e depressão.

Sabemos que isso pode progredir até mesmo para uma síndrome demencial como Alzheimer. Mas atenção, pode mas não necessariamente conduz. À questão “Se estou ansioso, meus lapsos de memória são definitivos devido à progressão da minha ansiedade? Terei alguma demência como Alzheimer por isso?”, respondo: Calma! Por isso estamos aqui! Refletindo, saberemos como nos precaver.

Vejamos o que pode ser feito de bom e útil para que nenhum inconveniente atrapalhe a nossa capacidade de compreender e nos adaptar às diversas etapas pelas quais passamos. 

Defino o bloqueio da memória por processo de ansiedade como uma ação reativa do nosso cérebro às inúmeras situações que trazem exaustão mental:

  1. Estou centralizando todos os cuidados da família em mim ? Reflita sem julgamentos.
  2. Estou com uma bagagem de trabalho além do que poderia suportar? Há equilíbrio no meu planejamento de vida?
  3. Me permito ter  períodos de lazer? Me culpo quando separo alguns momentos só pra mim?
  4. Como reajo em situações adversas e de estresse absoluto? Minha tolerância está reduzida? 

Se a maioria das respostas foi positiva e elas fazem parte da sua rotina,  sugiro que repense com calma. Não podemos gastar a energia que não temos. Seja o verdadeiro gestor do seu tempo. Você precisa disso  e vai precisar ainda mais no passar dos anos. 

Gerenciar as prioridades de sua rotina para o seu bem estar só trará benefícios em qualquer período da sua vida. 

Nosso cérebro é como um potente computador: inteligente, tão perfeito que não existe máquina no mundo que replique este potencial. Mas como qualquer máquina, se passarmos por um momento de sobrecarga emocional e até física, ele desenvolverá -de forma reativa e por proteção- ações de bloqueios de memória. Se não, certamente essa “máquina” entraria em pane.


Então sugiro que, no primeiro momeno que surgir alguma dúvida sobre como anda sua memória, você faça uma reflexão profunda de como você está usando esse hardware chamado cérebro. Certamente

encontrará de cara algumas razões que estejam colaborando de forma negativa e causando bloqueios. Porém como até o que é ruim nessa vida tem um lado bom, vamos considerar como uma bênção o nosso próprio corpo nos sinalizar que precisa de ajuda e que se sente sobrecarregado. Como sempre oriento, busque seu médico, discuta possibilidades de tratamento quando essa sobrecarga necessitar de suporte e orientação. 

Gerencie seu cérebro que ele dominará o seu corpo. Sejamos sempre leves. Nossa memória agradece. 

Danielle Amoêdo (contato@danielleamoedogeriatria.com.br/ www.danielleamoedogeriatria.com.br) é médica pela Fundação Oswaldo Aranha (UNIFOA/ Volta Redonda), pós-graduada em Geriatria e Gerontologia (UFG), especialista em Envelhecimento Ativo. É Coordenadora Médica no Programa de Assistência ao Idoso (Grupo Notredame Intermédica) e atende em consultório particular. Falará conosco mensalmente sobre saúde e os meios e modos de viver qualquer idade sempre da forma melhor e mais saudável possível

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Olá, quero seguir o seu blog.