Exercício é Remédio

Exercício é Remédio

por Paulo Kertzman

Como assim exercício é remédio?

Todos sabem que fazer exercícios faz bem para a saúde. Porém, poucas pessoas fazem exercícios toda semana e estamos ficando mais sedentários, obesos, hipertensos e deprimidos. seriados na TV, internet, aplicativos para pedir de tudo sem sair de casa, preço das academias e uma dose de preguiça são os principais fatores que nos tornam cada vez menos ativos e menos saudáveis.

Os médicos e os pacientes costumam dar muita atenção em prescrever e consumir remédios para dor, pressão alta, diabetes, depressão e câncer.

E se os médicos e os pacientes dessem tanta importância em tomar remédios como a fazer exercícios todos os dias?

Quer diminuir seus gastos com remédios? Quer sentir menos efeitos colaterais? Quer ser mais animado, saudável, gostar mais de você, se cuidar e ser mais feliz?

Você sabia que fazendo um pouco de exercícios como caminhada, bicicleta, musculação, dança você vai ficar menos doente e, se estiver doente, vai tomar muito menos remédios?

Não precisa ser um atleta, não precisa gastar muito dinheiro, todos podem fazer um pouco mais de exercícios. Você sabia que praticar caminhada por 30 minutos por dia, pode ser 10 minutos de manhã, no almoço e a noite já muda sua saúde? Se fizer um pouco de musculação melhor ainda. Diminuir os doces e o sal então aí fica perfeito.

Converse com seus amigos, com um professor de educação física, com seu médico. Peça informações sobre o que você pode fazer mesmo que sofra com dores ou qualquer outra doença, se você fizer um pouco vai melhorar muito.

Quem faz exercícios tem menos dor nas costas, o exercício faz mais efeito que os anti-inflamatórios. Quem faz exercício tem menos pressão alta e toma menos remédios. Quem faz exercício toma menos remédio para diabetes, para câncer, para depressão.

Com a pandemia tudo piorou. Estamos com medo de sair de casa e cada vez mais sedentários.

Nos consultórios vemos uma “pademia” de pacientes com dor na coluna e nos braços devido a tanto tempo sentado em frente ao computador, celular e TV. A força dos músculos, que já não era grande coisa, piorou e as dores aumentaram. Com isso o sono piora, a depressão piora e a vida fica mais pesada.

Resolvemos inverter a forma de analisar a questão da importância em fazer exercícios. Fomos perguntar a quem tem o costume de fazer, como foi o impacto da pandemia e do isolamento social e fechamento das academias e clubes e parques.

Realizamos uma pesquisa com 6.000 usuários frequentadores das atividades físicas no SESC e comprovamos a falta que o exercício está fazendo para quem era ativo. Avaliamos pessoas com 60 anos ou mais e que faziam ginástica em média três vezes por semana. O impacto foi brutal: ganho de peso, perda de força e de equilíbrio, piora do sono e aumento da ansiedade. Perder a companhia dos amigos, a rotina de se exercitar, o contato com os professores e com o ambiente de gente feliz e ativa fez muita falta.

Por outro lado, nunca se falou tanto sobre a importância de fazer ginástica inclusive para melhorar a imunidade e as defesas naturais do nosso corpo. Um estudo recente mostrou que pessoas sedentárias, se contraírem o Covid 19, têm mais chance de morrer do que quem se exercita regularmente.

Enfim, fazer exercícios moderados como caminhar em locais tranquilos por 30 minutos pelo menos, fazer um pouco de fortalecimento mesmo que seja em casa com pesos leves e elásticos por meia hora três vezes por semana pode mudar sua vida. Tentar reduzir o tempo sentado levantando de hora em hora e fazendo um pouco de alongamento vai reduzir suas dores e melhorar muito a saúde mental.

Exercício é remédio. Basta começar a fazer para não parar mais. Todos temos uma amiga ou amigo “louco” que acorda às 5h da manhã para correr ou andar de bike. Todos sabemos histórias de pessoas que perderam 20 kilos, curaram a depressão, casaram, mudaram de vida com o esporte como impulso. Chega de reclamar e comece a se movimentar mais. A pandemia vai demorar pra passar mas um dia acaba.

Fazer exercícios é se cuidar, tirar um tempo do seu dia para você mesmo e não para cuidar dos outros e resolver problemas. Quanto mais velhos ficamos mais perdemos força, autonomia, equilíbrio e independência. O exercício é o melhor remédio para todos os nossos maiores medos com a idade, traz prazer e melhora nossa autoestima.

Paulo F Kertzman (paulofkertzman@uol.com.br) é médico ortopedista e médico do esporte da Santa Casa de São Paulo, professor doutor na Faculdade da Santa Casa e médico do Instituto do Atleta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Olá, quero seguir o seu blog.