Plano B

Plano B

por Mariano Lucente 

Concepção conjunta, criação independente
Três cidades irão compor o cenário dessa história. Se pudéssemos atribuir uma trilha sonora a esse enredo, sem dúvida seria Seguindo em frente.

Hoje contaremos a história de Rosely Nogueira, mulher plena aos 60 anos e seus caminhos, às vezes turbulentos e outros mais tranquilos. Seu grande objetivo na vida sempre foi dar vazão a tudo aquilo que sua alma almejava, descobrir a fortaleza dentro de cada um e ser feliz.

Ainda morando na cidade de São Paulo, casou-se jovem com um grande amigo de infância e que resultou em uma relação que não era plena. Depois de algum tempo vivendo juntos decidiram, em comum acordo, encerrar aquele ciclo buscando, cada qual, um caminho para a felicidade. Assim foi feito.

Seguindo os passos de parte de sua família, mudou-se para Guararema, linda cidade distante cerca de 70 km de São Paulo.

Depois de algum tempo na nova cidade, encontrou um novo amor. Muito intenso, porém, após algum tempo juntos, essa relação trouxe uma descoberta para nossa “personagem”. O rapaz tinha outra relação firme com uma garota conhecida e querida na cidade. Como Rosely era a estranha na história e nova no local, além de passar como vilã do enredo, ninguém contava esse fato para ela.

Claro que isso iria aparecer um dia e, quando ocorreu, foi complementada com a notícia de que ele iria se casar com a antiga namorada. Rosely rompeu o relacionamento e tentou seguir em frente com sua vida pessoal e profissional.

Certa noite, já em trajes de dormir e morando com seus pais, ouve buzinas à porta de sua casa e logo depois a campainha toca. Ao abrir, reconhece seu ex-namorado que, para fugir do casamento marcado, veio com uma proposta louca de fuga para local incerto. Confusa, com medo de largar tudo para trás, mas ainda apaixonada, aceitou o convite e sua Mãe, numa tentativa de proteger a filha, recomendou que fossem para casa da família no litoral de São Sebastião, em especial, praia de São Francisco.

Após viverem alguns meses nesse local e não tendo conseguido se estabelecerem, receberam a notícia da gravidez de Rosely.

Voltaram a Guararema com cada um, indo morar com seus familiares até terem recursos para construírem uma vida juntos. O pai do rapaz tinha um comércio e recolocou o filho, Rosely, grávida, não podia voltar a dar aulas de ginástica. Depois de pouco tempo e como era confortável para família do rapaz, ele voltou ao antigo relacionamento e se casou.

Rosely, cheia de mágoas e dúvidas sobre o futuro, decidiu apostar no maior Plano B de sua vida. Iria seguir em frente com a gravidez sozinha. Discretamente marginalizada pela pequena sociedade local, só tinha apoio da família e nessas condições deu a luz a Raissa.

“Passava muito amor a minha filha e nunca alimentei qualquer tipo de sentimento negativo em relação ao pai dela, pois não queria desestruturar o coração de uma criança com ódio, mágoas ou ressentimentos. O fato é que ele era o pai dela e eu tinha que ser pai e mãe em cada momento”.

Mãe e filha, mulheres de opiniões fortes, viveram e conviveram bem no decorrer dos anos. Preocupações normais na adolescência de Raissa e que, hoje, adulta, rege seus próprios caminhos.

Rosely ainda esperou longos 17 anos pelo amor de sua vida. Uma noite, através de um sonho ou de uma experiência espiritual (aqui cabe à sensibilidade e crença de cada leitor), quebrou os grilhões que a acorrentavam a esse sentimento e sentiu-se livre para seguir em frente novamente.

Apaixonada pela natureza, pelos animais e sempre com vontade de aprender coisas novas, passou no concurso do Ministério Público que propiciou subsídios para cuidar de sua filha, estudar e trabalhar com terapias como acupuntura, barra de access, massagem, aromatologia, cosmetologia natural e colaborou ativamente na criação de uma fundação ambientalista na cidade.

“Foram anos de muito esforço, muita luta, tristezas e alegrias, porém acima de tudo, sempre buscando minha reforma interior. Sou muito agradecida aos sofrimentos que a vida me trouxe, pois, graças a isso, tive uma enorme motivação em mudar, melhorar e conquistar coisas novas. Hoje colho frutos dessas experiências”. Cantar e bem, tem sido um hobbie delicioso para ela e para todos nós.

Com certeza essa história ainda terá uma longa e linda continuação, aqui, ali e em qualquer lugar, pois para onde iremos não existem estradas e onde chegaremos, ninguém sabe.

Mariano Lucente (WhatsApp 11.955304623 e makeub156@gmail-com) é engenheiro, administrador, gosta muito de estudar e aprender. Já recebeu muito dessa vida e quer compartilhar conosco suas pequenas ou grandes guinadas, seus recomeços e todas as vezes em que teve que usar um Plano B.

5 comentários sobre “Plano B

  1. Maravilhosa relação com a vida, cheia de vida e aprendizagem; mulher forte e guerreira! Lindamente contada a vida de uma grande mulher, ameiiiiiiii!

  2. Ler sua história de luta, amor, dor, desavio e superaçdo, e ao mesmo tempo, saber da plenitude que você vive hoje, nos faz perceber o quanto a vida pode nos surpreender alegremente. Parabéns

  3. Com certeza os sofrimentos germinaram a força e amor para a criação de uma nova vida com muita dedicação a filha.
    Parabéns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Olá, quero seguir o seu blog.