A gente põe pra fora o que tem dentro

A gente põe pra fora o que tem dentro

Nos primeiros meses da pandemia, minha querida amiga Izabel Telles -que há 15 anos estuda a mente humana- saiu pelo mundo para descobrir o que se passava nas nossas cabeças neste ano tão único de 2020. Escreveu o livro 80 IMAGENS DA MENTE que será lançado em dezembro. Na ocasião, pediu que eu escrevesse uma abertura. Gostei tanto do que pensei a respeito que repito a seguir. 

É tudo uma questão de escolha, de decisão de vida anterior à pandemia atual. Especialmente neste momento tão delicado e absoluto, vemos de tudo. Há os que sofrem, se perdem nas próprias sombras. Os que se sentem de férias em casa, não sabem bem o que fazer com tantas opções virtuais à disposição, os que ficam sentados se lastimando de todos os infortúnios a que a vida nos sujeita. A Izabel Telles escreveu um livro.

Sem dúvida, a gente faz o que quer. Pode ficar triste, mergulhar pra dentro, se sentir a mais injustiçada da face da terra ou pode escrever um livro de âmbito mundial jogando um holofote no imaginário das pessoas.

Sou amiga da Izabel desde sempre. Nos conhecemos dentro de um avião e ao final da viagem já tínhamos dado muitas risadas juntas. Dom mútuo que se estendeu por todos esses anos e que nos permite rir das coisas engraçadas e, em algum momento, das menos engraçadas também.

Ela é uma pessoa muito rica, uma contadora de histórias, escrevedora de histórias, estudiosa das voltas que a vida dá. É, acima de tudo, interessada no quinhão da natureza que se volta ao ser humano, pensa nas pessoas, se entranha nelas…e imagino que tenha se voltado a entender a mente humana para poder explicar a abundância da sua própria.

Medo todos temos. O que fazer com ele é o que nos diferencia. A Izabel Telles escreveu um livro.

ângela cassiano

Um comentário em “A gente põe pra fora o que tem dentro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Olá, quero seguir o seu blog.